Arquivo da tag: somos nos que fazemos da vida viver sim não escolhas isto ou aquilo

As escolhas

Cecília MeirelesSomos nós que fazemos a vida Como der ou puder ou quiser…

A vida é feita de escolhas, como descreve Cecilia em seu poema, Ou Isto ou Aquilo. Ela escreve sobre o dinamismo do dia a dia na cidade e no campo, em qualquer hora ou lugar, desde o nascer ao pôr do sol, estamos sempre escolhendo. Por que a liberdade de escolha é uma experiência cotidiana que fazemos muitas vezes inconscientemente, é mais que um poema, é pura realidade, aliás, a poesia nasce da realidade, do concreto, da vida vivida sem pressa, nasce do amor, da luz e dos sonhos.

Há em cada um de nós uma enorme capacidade de escolher entre ficar triste ou alegre, chorar ou sorrir, falar ou silenciar… Isto é, é você quem escolhe o que se quer pra si. Diante de uma decisão, se analisadas com cautela e sabedoria, sempre haverá duas ou mais alternativas. Jesus nos ensina que devemos escolher entre o sim e o não: Sim quando sim e não quando não. Ou seja, só é preciso saber escolher. Mas está tudo nas suas mãos, razão e coração. Como diz o Gonzaguinha na sua canção “o Que é, o Que é?”: Somos nós que fazemos a vida Como der ou puder ou quiser…

Voltando ao poema da Cecilia Meireles, confesso que o admirei desde a primeira vez que o vi, me tocou profundamente cada palavra. Interessante, Cecília Meireles uma grande referência na literatura brasileira, por ser poetisa, pintora, professora e jornalista, nascida em Rio de Janeiro em 07 de novembro de 1901 – deixou-nos uma riqueza incomensurável ao apresentar-nos, num dos seus tantos poemas, uma bela descrição sobre o que chamamos de escolhas. Antes de ler o poema, te dou uma sugestão: Escolha ser feliz e pronto! Assim você poderá fazer outros felizes! Mas não se esqueça: Sem Deus é impossível ser feliz! Pense nisso!

Ou Isto ou Aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.