Mudanças necessárias

Nenhum texto alternativo automático disponível.Gosto muito de refletir sobre o tempo. Acho que tudo começa na linha do tempo. Em algum momento a criação teve um início, um ponto de partida. Aliás, o próprio Deus caminhou na linha do tempo, fez história em nossa história e sacralizou com o seu tempo kairós (tempo de Deus) o nosso tempo chronos (tempo humano).

Creio que muitos problemas só podem ser resolvidos se os deixarmos sozinhos num canto. Não podemos resolver todas as coisas pendentes com a ferramenta da razão ou com o uso de qualquer que seja o instrumento. Algumas coisas se resolvem tão somente com o tempo. O remédio é o tempo. Dar tempo ao tempo significa isso: Deixar a cicatrização acontecer naturalmente, sem pressa. Esquecê-los para que se resolvam. As feridas cicatrizam com o tempo, é só deixar…

Para falar de tempo, falemos de vida. A vida é feita de altos e baixos. E é compreensível isto quando chega o fim do dia, quando acima da linha do horizonte fica ganha aquela cor abóbora. É linda a linha do horizonte no momento final do dia quando o crepúsculo entra em cena no cenário da natureza. Você olha e vê aquela linha traçando o perfil separando a terra do céu. E você vê também o contorno das árvores, das serras, dos montes e chapadas com uma topografia bonita, ondulada, cheia de altos e baixos. É encantador admirar a natureza, ela é bela… Ali naquele breve instante dá prá ver a imensidão do céu (kairós) e o tempo da natureza (chronos) se encontrando. É uma das horas mais admiráveis do dia. Principalmente se a cena for assistida na roça.

Enfim, o anoitecer que é o fim do dia, é como se o tempo chegasse num momento singular de despedida. As horas vão chegando ao fim. É uma metáfora da existência marcada pelos três momentos: começo, meio e fim. A existência tem essa dinâmica própria. Quando o homem aprende a identificar os sinais do tempo ele fica mais sábio. Os sábios entendem bem estes sinais.

Sinais que indicam prosseguimento, projeção futuro. Sinais que revelam pausas e descansos. Férias, feriados e intervalos que a própria vida exige para que o viver aconteça bem. Mas não tem como viver bem sem ter consciência do tempo. Compreender o que o tempo tem pra ensinar. Há mais de dois mil anos Jesus já falava disso, ele orientava as pessoas a lerem os sinais dos tempos pra reconhecerem nele os segredos do viver bem. Lendo os sinais do tempo, o ser humano pode retirar os elementos necessários para a concretização do Reino de Deus e, consequentemente, a realização de si mesmos.

Feliz é quem faz uso destes sinais com sabedoria; Felizes são aqueles que assumem o controle do tempo sem medo de ser felizes. Aliás, decidem e tomam decisões assim justamente porque querem ser felizes. A busca pela felicidade exige discernimento constante. Exige calma, prudência e paciência, pois são mudanças que alteram a rotina, o cotidiano. Por isso, é preciso saber fazer pausas, isso é importante destacar.

Muitas vezes, será preciso, claro, se possível for, assumir as rédias do tempo e alterar o percurso para se chegar ao ponto de realização máxima do ser. São atitudes necessárias mas que causam medo e insegurança, porém necessárias. Para isto, que não falte coragem para mudar o rumo dos passos e até mesmo diminuí-los ou acelerá-los se preciso for. Pois, o tempo passa, e não volta. Ah, voltando ao tema desta reflexão: deixe que o tempo cuide daquilo que somente com o tempo é possível superar, vencer e curar… somente com o tempo é possível cicatrizar.

E não se esquecer que: o tempo não para…

Category: Meditações | No comments yet


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *