Esperas

Apresentação1Nos dias de hoje, de modo especial, não há espaço para as esperas. Esperar é uma tarefa difícil e inaceitável para boa parte dos humanos. Tudo se faz em fração de segundos. Comandos que damos inconscientemente e modificamos o mundo a nossa volta, acontecem em velocidade sem igual. O mundo está agitado. Sem esperança, sem tempo de espera…

Se pensamos no mundo das relações, seja pessoal ou interpessoal, percebemos que o ser humano não tem muita paciência para consigo mesmo. Veja bem, se vai à Igreja preocupa-se em receber o milagre no seu tempo, de acordo com a sua necessidade e disponibilidade. Não sabe esperar. Na lógica do estômago, seria o “comer cru” por não saber esperar.

Assim está o ser humano, faminto de respostas rápidas, de milagres instantâneos, de lucro imediato. Talvez seja por isso, que não se faz mais comida em fogão à lenha como antigamente… Aliás, ainda existem comunidades que conservam esta tradição, buscam a lenha e preparam o fogo, e a comida demoradamente é preparada e sacia a fome de quem soube esperar. Mas é uma rara exceção. Na verdade, cozinhar em fogão à gás é mais ágil e prático, além de não encarvoar a panela: chama-se Modernidade.

Mas, confesso que não foram poucas as vezes que tive vontade de não ser moderno. Por que ser moderno cansa demais, stressa muito, então, melhor diminuir o ritmo e esperar com mais tranquilidade os resultados do tempo, com suas surpresas e encantos! Saber esperar é um jeito de ter esperança!

Sobre Pe. Ivanilton,msj

Sou mineiro, natural de Águas Formosas, pequena cidade situada na região nordeste do estado. Desde muito cedo, gosto de trabalhar com minhas próprias mãos. Amo a cultura mineira, gosto do meu povo, das cantigas de roda e das famosas comidas típicas que só se encontram em Minas. Somente aos 18 anos de idade é que saí de casa, entrei para o Seminário do Instituto Missionário São José. Em Aparecida do Taboado, MS, recebi a formação propedêutica. Terminado este período, mudei-me para Taubaté, SP, onde cursei três anos de Filosofia, na UNITAU (Universidade de Taubaté) e, logo após, iniciei o curso de Teologia, pela faculdade Dehoniana. Passados quatro anos de estudos teológicos, fui ordenado Diácono, pelo Instituto Missionário São José, do qual sou membro. Em julho de 2009 fui ordenado Padre e, hoje, exerço o meu ministério na Paróquia Santa Rita de Cássia em Pontalina/GO. Creio que a vida é o dom mais precioso que Deus, gratuitamente nos presenteou. Por isso, carrego em meu coração, o desejo de viver seguindo os pés do Mestre dos mestres, Jesus de Nazaré. O lema que me inspira e ilumina a minha missão é: "Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham plenamente" (cf.: Jo 10,10b).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *