Entre o nascente e o poente

A estrada da vida é um pouco assim. Fazemos o caminho através de cada passo. Cada dia vamos descobrindo mais sobre nós mesmos, e sobre a grandiosidade da vida. Nos encantamos com a beleza do existir, a vida aos poucos vai se tornando mais espetacular. Principalmente quando vamos compreendendo as expressões do amor. Encontramos num olhar a nossa própria identidade, humana, bela, divina…

Criamos laços, ficamos amigos, queremos a presença,

E entre oImagem: Pe Ivanilton nascente e o poente, a vida nasce, finda-se o dia, e com ele a noite chega. A notícia roda nos jornais, corre o boato. Percorrendo de um lado a outro, são quilômetros de certezas e dúvidas. São pessoas que vão, que vem, que choram, que clamam respostas… É fato.

Palavras escapam sem limite até que esbarram no silêncio. Gestos vãos, canções tristes… Recordações registradas em melodias, em versos, histórias lindas. E tristes.

Enquanto isso, vamos aprendendo o quanto a vida é frágil, é delicada como a rosa, às vezes é dor terrível. É poesia crepuscular, como o pôr do sol… É mistério que envolve chegadas e partidas. Risos. Lágrimas.

A dor de um pai, o silêncio da mãe, a lágrima do irmão, têm direito de chorar lágrimas e palavras dignas de respeito. São humanos, como os amigos, choram como os conhecidos, mesmo distantes nos aproximamos naquilo que temos em comum, a lágrima e a dor, marcas humanas.

“Por quê, por quê? – perguntas não se calam, grito mudo na garganta… sem resposta. mas Quando tem que acontecer… Ufa! a gente não entende muito, nada ou quase nada… Especulações de todos os lados, explicações tristes, e o silêncio dói, corrói… inquieta a alma. Mas lá no fundo, aquela esperança continua viva, discreta e sem máscara, em silêncio diz: Tudo vai passar! Eu creio!

Por isso a gente vai vivendo, tocando a vida, pedindo sabedoria ao Criador pra tentar entender, viver e sentir cada momento, cada presença… Pois a vida é dom d’Ele a você e a mim… só Ele pode nos revelar os segredos e mistérios do tempo.

Enquanto isso, vamos vivendo, tocando a vida pra frente…

#Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje… Viva bem o presente, deixe saudades!

Pe. Ivanilton

Sobre Pe. Ivanilton,msj

Sou mineiro, natural de Águas Formosas, pequena cidade situada na região nordeste do estado. Desde muito cedo, gosto de trabalhar com minhas próprias mãos. Amo a cultura mineira, gosto do meu povo, das cantigas de roda e das famosas comidas típicas que só se encontram em Minas. Somente aos 18 anos de idade é que saí de casa, entrei para o Seminário do Instituto Missionário São José. Em Aparecida do Taboado, MS, recebi a formação propedêutica. Terminado este período, mudei-me para Taubaté, SP, onde cursei três anos de Filosofia, na UNITAU (Universidade de Taubaté) e, logo após, iniciei o curso de Teologia, pela faculdade Dehoniana. Passados quatro anos de estudos teológicos, fui ordenado Diácono, pelo Instituto Missionário São José, do qual sou membro. Em julho de 2009 fui ordenado Padre e, hoje, exerço o meu ministério na Paróquia Santa Rita de Cássia em Pontalina/GO. Creio que a vida é o dom mais precioso que Deus, gratuitamente nos presenteou. Por isso, carrego em meu coração, o desejo de viver seguindo os pés do Mestre dos mestres, Jesus de Nazaré. O lema que me inspira e ilumina a minha missão é: "Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham plenamente" (cf.: Jo 10,10b).

2 comentários sobre “Entre o nascente e o poente

  1. Pe. Ivanilton, Palavras sábias, perfeita para o meu momento…que envolve chegadas e partidas, separação, onde se doa uma parte de uma vida… Tudo passa. Só peço a Deus sabedoria e discernimento para que minha alma não padeça. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *