Todos os posts de Pe. Ivanilton,msj

Sobre Pe. Ivanilton,msj

Sou mineiro, natural de Águas Formosas, pequena cidade situada na região nordeste do estado. Desde muito cedo, gosto de trabalhar com minhas próprias mãos. Amo a cultura mineira, gosto do meu povo, das cantigas de roda e das famosas comidas típicas que só se encontram em Minas. Somente aos 18 anos de idade é que saí de casa, entrei para o Seminário do Instituto Missionário São José. Em Aparecida do Taboado, MS, recebi a formação propedêutica. Terminado este período, mudei-me para Taubaté, SP, onde cursei três anos de Filosofia, na UNITAU (Universidade de Taubaté) e, logo após, iniciei o curso de Teologia, pela faculdade Dehoniana. Passados quatro anos de estudos teológicos, fui ordenado Diácono, pelo Instituto Missionário São José, do qual sou membro. Em julho de 2009 fui ordenado Padre e, hoje, exerço o meu ministério na Paróquia Santa Rita de Cássia em Pontalina/GO. Creio que a vida é o dom mais precioso que Deus, gratuitamente nos presenteou. Por isso, carrego em meu coração, o desejo de viver seguindo os pés do Mestre dos mestres, Jesus de Nazaré. O lema que me inspira e ilumina a minha missão é: "Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham plenamente" (cf.: Jo 10,10b).

Nem sempre é saudável usar as palavras. Em alguns momentos é melhor silenciar e deixar que a resposta seja o próprio silêncio. Pois, é no uso verbal das palavras que muitas vezes falamos ou ouvimos o que não deveríamos.

O silêncio é palavra.

Não deixe a esperança morrer…

Quando vejo uma esperança o meu coração palpita diferente… É como se a felicidade me visitasse. Ufa! Faz tempo que não vejo uma. Mas a lembrança da ultima que vi ainda está viva aqui dentro de mim, ela fez morada na minha memória e no meu coração.

Começo a escrever este texto a partir da imagem de um esperança, aquele insetinho verde que encontramos por aí, voando de um canto para o outro pelos móveis de nossas casas.

Não sei o por quê, mas amo esse inseto. Aliás eu até que sei o motivo: A sua cor verde me faz sentir um sentimento bom. Me lembra vida, paz, positividade, etc. Além disso, me faz sentir esperança.

Esperança é o seu apelido, não sei quem o apelidou com esse nome, mas sei que pegou. Foi uma boa escolha, um nome que tem a ver com a nossa vida. Acho que é isso que me atrai nesse insetinho: o seu nome, a sua cor, a sua presença voando de um lado para o outro acalma os meus olhos e enche o meu coração de bons sentimentos.

Recolher-se aqui é o mesmo que voltar-se para dentro, olhar para dentro de si. O título desta meditação está no plural, não é por acaso. Coloquei no plural porque creio que são muitos os objetos em nossa vida que diariamente precisamos recolher.

Me lembro muito desta palavra nos Retiros Espirituais Inacianos (Metodologia de Retiro espiritual que, por sinal, indico para todos aqueles que buscam espaços e momentos de espiritualidade a partir da experiência do silêncio e da contemplação).

Então, na espiritualidade de Santo Inácio, os padres abordam de uma maneira muito singular o significado de RECOLHIMENTO – É muito interessante a compreensão que têm sobre esta expressão. É um exercício conduzido e direcionado que  a pessoa é levada a fazer num movimento espiritual de fora para dentro.

Repetidas vezes escutamos este conceito nestas casas de retiros. Durante as colocações (que são reflexões dirigidas pelo assessor ou pregador àqueles que estão fazendo o retiro) – nos explicam o poder do recolhimento como caminho de encontro com Deus e também de encontro do ser humano consigo mesmo. É um voltar-se da criatura para o Criador. E ao mesmo tempo um gesto que leva a pessoa à experiência do autoconhecimento. Vale a pena recolher-se nesta perspectiva.

Recordo também esta palavra do meu tempo de infância e adolescência quando a minha mãe me pedia pra recolher a roupa seca do varal por que estava vindo chuva. Recolher ali significava proteger contra a umidade. Depois de exposta ao sol, a roupa seca precisava ser recolhida e guardada até o momento de passar e depois, só depois seria pendurada no cabide dentro do guarda roupas.

Recolher, portanto, é uma palavra bonita que nos remete a dimensão do cuidado… A gente precisa se recolher pra cuidar. Seja cuidar da gente ou de alguma coisa que a gente sente que precisa de um cuidado especial. Trazer de volta pra dentro e dar o retoque necessário. Colher novamente aquilo que deixamos lá fora e que agora precisa de ser olhado, consertado ou mesmo restaurado.

Concluo esta meditação com esta seguinte pergunta: O que é que mais precisamos recolher em nossa vida nesse tempo de quaresma? O que mais necessita de recolhimento e cuidado nesse exato momento de minha história de vida? Como estou? Como estão as minhas lidas, as minhas lutas e o meu ser?

Desejo a você uma abençoada reflexão, que o Senhor te abençoe e guarde!