Gosto…

O que eu não gostoO que gosto?

O que não gosto é da indiferença.

Ela não faz bem a ninguém.

Machuca muito.

Mas os indiferentes também sofrem.

O que mais gosto é do olhar sincero.

Um sorriso sem ironia,

Um abraço inteiro,

Um olhar de misericórdia, de coragem, que ilumina!

Gosto dessas coisinhas que fazem bem a minha alma…

Segredos da chegada

marta-e-mariaHospitalidade é uma palavra bonita! Num primeiro instante ela ressoa doce e agradável, e também repleta de imagens. Quando penso em hospitalidade já me vem à imaginação uma porta. Isso mesmo, uma porta que se abre e pela qual entram pessoas, coisas e histórias.

Falar sobre a hospitalidade é um desafio, por um lado. Exige experiência, gesto concreto… Saborear os segredos confessos da chegada, do momento forte que fica a primeira impressão, o desajeito, o desconcerto, o prazer, a alegria…  Sentimento bom. É assim que descrevo o que entendo por hospitalidade, uma abertura natural para aquele que chega e pede entrada. Não é algo forçoso, e nem pode ser.

Pra ser hospitalidade precisa ter, no mínimo, o amor no olhar. Aliás, antes de acolher à porta, o outro precisa ser acolhido no olhar. Os olhos revelam nosso interior, se está aberto ou fechado para recepcionar algo ou alguém. Se os olhos se fecham significam que o coração não está pronto para degustar o sabor da hospitalidade, o sabor da presença.

O hóspede e o anfitrião estarão dispostos um para o outro a se encontrar quando os olhos revelarem empatia e brilho, sinalizando a alegria e o prazer da presença. Assim penso que na escola da hospitalidade o ser humano jamais poderá deixar de entrar… E passar bons anos.

Afinal, não há sentimento melhor que o de ser acolhido quando se bate a porta, não há outro sentimento melhor que este, pois o abrir-se demonstra o quanto há amor no coração daquele oferece o interior para que o outro entre e descanse. Amor: Condição sem a qual não existe hospitalidade.

Ser hospitaleiro exige amor nos olhos, amor que forra o coração para que o outro se acomode… Sem este amor, tudo fica sem graça… Se o coração não estiver bem, qualquer atitude externa não passará de uma mera aparência. É como um abraçar-se sem calor, sem encanto, sem vida, frio…

Por isso, rezo ao Senhor, sob a intercessão de Nossa Senhora modelo da hospitalidade, que me ensine esta arte tão bela e indispensável para o nosso bem viver! Que ela nos ajude em nosso viver e conviver cotidiano!