Sofre mais quem muito espera

Vez outra, gosto de brincar com as palavras.

Nem sempre, pois elas (as palavras) não são tão acessíveis

Parecem ser, mas não é. Erra quem pensa que prende as palavras

Vejo-as intocáveis e indizíveis quando se ausenta a inspiração.

Palavra sem inspiração é como letra sem música. Às vezes são secas e sem graça.

Hoje, quis brincar com as palavras. Senti esta vontade e me pus a escrever…

A pensar fiquei, procurei-as e não as encontrei.

Até que um insight me veio de sobressalto e escrevi:

Fico a pensar no vai-vem das coisas…

A vida é cheia de dinamismo.

Encontros e desencontros.

Chegadas e partidas!

Ciranda que alegra e entristece

que faz chorar, esperançoso coração Ah!

sofre mais quem muito espera…

Não sei por quê. Resposta não há, mistério sem fim.

Sente no olhar a ternura

aqui dentro, silêncio

outrora era assim

agora, vem de novo

sentimento.

quem não tem

Como todos,

 mais um.

Pe. Ivanilton