Carpe Diem

Começe a plantar…

Como o rio que corre e nas suas águas não pisamos por duas vezes, assim também acontece conosco em relação ao nosso amigo, o tempo. Ele passa, foge de nossas mãos, não se deixa prender… O que nos resta é o fragmento de cada segundo que somado um a um, contará minutos, horas e dia.

Aproveitar o intervalo é essencial para que a vida tenha o seu valor próprio. É entre o chegar e o partir que reside o segredo da saudade. Sentir saudade é recordar o momento que se passou e trazer para o hoje o que a muito se foi. O que fica de nossa vida é justamente o modo como vivemos. Seja virtuoso ou pecaminoso, tudo o que fazemos deixa uma marca. Seja com palavras, atitudes ou silêncio, algo de nós fica enquanto vivemos o intervalo.

Para os sábios, o intervalo é o lugar do encontro. É o point dos fenômenos humanos. Daí, que precisamos cultivar o presente como um tesouro que não pode ser maltratado e ignorado, tampouco exageradamente amado, pois, o amor em excesso é ruim tanto quanto a ausência de amor. Se apegar ao presente se esquecendo do futuro é tanto esquisito quanto doentio. Afinal, o presente é o ponto de encontro do homem com o tempo – cujo resultado é o futuro.

O tempo passa veloz. Corre, foge como o pássaro em busca de liberdade. Quando pensamos que estamos chegando… já estamos saindo. Neste espaço de tempo entre a chegada e a saída experimentamos o sentido da vida. O existir é isso: presença inteira, plena e consciente no tempo presente. Viver bem o presente para que o futuro seja melhor.

Plantar no presente a semente que germinará no futuro. Cada semente possui uma validade: 24 horas. A cada dia uma nova semente nos é dada pelas mãos do Criador. E, nós somos os jardineiros, recebemos as sementes – devemos plantá-las enquanto há tempo.

O que fazemos do nosso tempo, do nosso dia, das 24 horas que Deus nos dá? A semente que recebo está sendo bem cultivada? Ou será que ainda não a plantei? Plantar a semente significa assumir a missão que Deus nos confiou e nos confia a cada dia de nossa existência. A primeira missão se diz respeito à vida. Viver a vida com total liberdade, revesti-la de cuidado e respeito – Vida: Semente que não pode morrer.

Aproveite o hoje que tens em mãos, zele por tua vida, para que não se torne 24 horas perdidas. Plante bem no hoje, para que o seu amanhã seja frutuoso. Se, porém, o que colhes hoje é um passado mal plantado, não se prenda a isso… continue a plantar, renove sua semente, tua fé, tua esperança, plante com prudência e amanhã bons frutos certamente apanharás. Seja um bom jardineiro, a semente tens nas mãos. Começe a plantar!!!

Pe. Ivanilton,msj

Sobre Pe. Ivanilton,msj

Sou mineiro, natural de Águas Formosas, pequena cidade situada na região nordeste do estado. Desde muito cedo, gosto de trabalhar com minhas próprias mãos. Amo a cultura mineira, gosto do meu povo, das cantigas de roda e das famosas comidas típicas que só se encontram em Minas. Somente aos 18 anos de idade é que saí de casa, entrei para o Seminário do Instituto Missionário São José. Em Aparecida do Taboado, MS, recebi a formação propedêutica. Terminado este período, mudei-me para Taubaté, SP, onde cursei três anos de Filosofia, na UNITAU (Universidade de Taubaté) e, logo após, iniciei o curso de Teologia, pela faculdade Dehoniana. Passados quatro anos de estudos teológicos, fui ordenado Diácono, pelo Instituto Missionário São José, do qual sou membro. Em julho de 2009 fui ordenado Padre e, hoje, exerço o meu ministério na Paróquia Santa Rita de Cássia em Pontalina/GO. Creio que a vida é o dom mais precioso que Deus, gratuitamente nos presenteou. Por isso, carrego em meu coração, o desejo de viver seguindo os pés do Mestre dos mestres, Jesus de Nazaré. O lema que me inspira e ilumina a minha missão é: "Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham plenamente" (cf.: Jo 10,10b).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *